Páginas

31 março 2012

"Pétala XXVII"

Entre as sombras
clareira de sentimentos
trilha a percorrer
meus passos vacilantes
medos torturantes
íntima noite escura
nada, vazio sem fim
impulso, intensa procura
sou ... Eu ... perdida ...
... em Mim.
Emoções desbravadas
mata antes fechada
turva visão do antes
fantasmas figurantes
sob essa luz dourada ...
Sou eu em Mim ...
... encontrada!!!

(Kátia de Souza)

"Queria ..."


Queria encerrar esta noite sem falar de amor
queria deixar aos outros poetas essas linhas
queria dessas letras abdicar por um instante
silenciar esta face em mim tão constante
queria ... apenas queria ... e até me permiti ...
contudo, veio você nas letras em poesia
música e melodia ...
invadiu-me a noite, o peito ... sorrateiro se fez presente 
agora sem mesmo querer ainda me declaro
confesso e não calo ... este Amor ... eterno à Você!

(Kátia de Souza)

30 março 2012

"Amor de outros tempos"

Antes de te conhecer
eu pude ver teus olhos
sentir teu cheiro
e a textura de teus cabelos
vi um lindo sorriso raro
compreendi em mim
dores e vazio
choros e lamentos
lágrimas a percorrer
em rosto des(re)conhecido
ouvi tua voz
envolvida em luz
toquei tuas mãos
estremeci em desejos
respondendo meu corpo
concedi recebendo teus beijos
partilhei incompreendida emoção
hoje posso dizer ... 
... prazer em conhecer
e nada sei de ti
percorrendo em mim
este caminho reconhecido
visto através dos laços
que pôde você em nós refazer
somos "isso"
estranhos, conhecidos
iguais, semelhantes
dois ou um
compartilhada unicidade
essências divididas
em dor sentida
da separação mantida
pela dúvida e medo
do conhecer sem saber
tudo isso em mim
nós, você ...
antes de nos re-conhecer
sabe-se em essência
do amor que fora planejado
e agora em "Vida" ... 
... dessa forma, separados ...
... ele assim, Viver!

(Kátia de Souza)

29 março 2012

‎"Conhecer diferente de Saber"

Necessidade ...
todos a dizer
falas se repetem
hábil conhecer

ausência ...
falta descolorindo
as flores desbotando
cinza assumindo

filosofias ...
ensinam convivência
mas sem você
persiste a carência

tristeza ...
que me toma o peito
choro sem cessar
sentindo vazio ao leito

dependência ...
imatura afetividade
reação do egoísmo
acolho em caridade

consciência ...
hoje Sou apenas cisco
evoluindo em largo tempo
assumindo o que sinto

desejando-te ...
sopro ao vento
imenso conhecer
ainda sem saber
por você ...
... meu sentimento!

um dia ...
sem precisar, viverei
conquistarei sorriso pleno
apenas amarei

saudade ...
dor a lembrar
você íntimo e calado
silêncio em mim ...
... gritado!

(Kátia de Souza)

"Teu medo de amar"

Passei por tantos portos
ouvindo o soprar dos ventos
em mim ondas desse mar
velejei e alcei voo
e entre os viajantes 
busquei teu rosto
teus olhos, teu versejar
e neste ousado pouso
senti teus gestos
saboreei teu gosto
quando pude em mim calar
busca finda, silenciada
na ausência e na falta
contemplando toda noite
em mim ... teu olhar
sossegados passos
aportados os ventos desse mar
emudecido em ti 
teu segredo, calado
em ações confessados 
medos teus em se entregar
hoje visto, reconhecido
sou eu ... teu amar! 

(Kátia de Souza)

27 março 2012

‎"Teu olhar"

Teus olhos cor de mar
caminho verso sem volta
venha direto ao peito
estala palavra torta
não vibra encanto meu
por te amar revira
talha e corta ...
teu olhar verdeando
carinho esperança
vagueiam-me as palavras
nexo e sentido
perde-se ondeando
emoção imatura
eu, criança ...
saudade na falta sem par
teus olhos presente
sorrateiramente
roubado do teu jardim
tal qual muda em flor
em mim sorriso
bem aventurança ...
agora posso a todo instante
cruzar este verde marejar
caminho em ondas de mar
você, em mim, teu olhar

(Kátia de Souza)

26 março 2012

"Eu, doce pecado"

Fel que te amarga a boca
trava-te a língua
silêncio vigiado
razão tua ...
... impiedosa amiga
vigias teus pudores
desejos que escorrem
incontidos pelos dedos
palavras que falam
gritam, sussurram
eu, deslizando
em ti, pelos poros
negada, expulsa
nesta ausência muda
intensa(mente)
presente, sentida
segredada em ti
teu amargo
doce pecado
calado em si
Você? amado
sempre por mim 
amor revelado 
nu, atado ...
... enlaçado, unidos 
no ... Fim! 


(Kátia de Souza)


"Ouço"

Alguém me disse
para ajudar
acompanhar
e ser parceira
alguém me disse
para agradar
elogiar
e ser carinhosa
alguém me disse
para falar bonito
conter os aflitos
e doar-me em vida
mas, algo gritou dentro
em intenso movimento
vasculhei sentimento
pensamento
não escutei e então
em "si" me disse ...
... Seja! ... serei ...
assim fui, ou melhor ...
... Sou Eu!!

(Kátia de Souza)

25 março 2012

"Pétala XXV"

Te abraço, te beijo, te olho, te enlaço 
me deixo, me permito, me solto, me entrego
unidos, dois num único momento, o sempre ...
nós, nos amando permitindo, livres ... Ser!

(Kátia de Souza)

24 março 2012

"Pétala XXIV"

Em teu corpo me solto
entrego-me, deslizo, permito
sinto tua pele
teu cheiro que entorpece
enlouquece
abre-me, torce, contorce
revira-me, enlaça, abraça
vem, dentro, sai 
estremeço, volteio
vibrando em você
em mim pulsando
querendo, gemendo
pedindo e calando
num único e só nosso
tesão, prazer
a dois ... gozando
desejando e querendo ...
... mais, muito mais ... Você!

(Kátia de Souza)

23 março 2012

"Todos ao Amor"

Neste voo desenfreado
em ares do passado
refazendo o presente
buscando ser ciente
dos passos mal dados
sinto estranha angústia
no mundo tanta astúcia
distorcendo gestos puros
transformando-os impuros
ainda ouço os sussurros
de ecos e preconceitos
resvalando pele delicada
que muda, calada
no silêncio assiste
onde a maldade persiste
soprar hálito malfazejo
desviando-se da paz
coberto por brilho raso
disfarce de flor em vaso
engano em olhos fechados
da essência natural
brilhante e real
desse que é por todos
amor para mim, você ...
... imenso, infinito, sem igual!

(Kátia de Souza)

22 março 2012

"Sopro de Amor"

Nasci brisa em meio do nada
me fiz tormenta ...
caminhei entre rochas
me fiz eco e fui ouvida
provei de tua magia
letras, palavras que definia
tuas nuances em vida
as folhas dançaram em melodia
neste passar, eu decidia
revirei marés em ondas de sentimentos
a areia soprei, dunas formei
diante de mim teu olhos, contemplei
nos giros da vida trilhei
meus passos em doces momentos
dedos que tocavam pura emoção
paz sentida em teu coração
vida sentida em sabedoria
ensinada em instantes de alegria
fui o que fizestes de mim
me fiz em palavras ... tua
letras, encanto e poesia
amada, tocada e sentida
nesta partilha vivenciada
confessada em segredo
silêncio do nós soprado
um amor vivido no hoje
sentido e sabido eterno
movimento ...
cadenciado neste sopro que somos
eu e você nos amando
eterno em nós ... sentimento!

(Kátia de Souza)

21 março 2012

No Campo de Sonhos

Vem caminhar comigo em mágico Campo de Sonhos ... dançar ao som dos violinos, arrepiar-se ao passar pela palha do trigo ... Sorrir ao cair ao chão sem motivos e fazer caretas desinibidos ... Lambuzar-se no pote de doce, chupar pirulito e mastigar o palito ... Com a flor na orelha, cantar desafinado, correr contra o vento após beijo no rosto ... Oferecer a lua fingindo sermos namorados e deitar na grama, ver o céu estrelado ... Fechar os olhos e mesmo assim fazer dos teus as centelhas que ilumina os meus ... Silenciar e calar na segurança do ombro amigo, deixar que a sinfonia da noite nos adormeça ... Vem estar comigo neste Mágico Campo de Sonhos ... Que sejam verdes, intenso desejo ... Onde todo o bem floresça, pelo simples fato de estar contigo neste sonho de amar eterno e infinito ... Palavras que não retratam ... O meu sonho mais bonito ... Você!

(Kátia de Souza)

19 março 2012

"Segredo"

Por amor mergulhamos
mar de silêncios
palavras não ditas
sensações escondidas
desejos contidos
segredos inconfessáveis
condenados em omissões
insensatez, loucura implícita?
amor sem face
vícios da covardia
explícitas linhas
poesia calada
revelada entrelinhas
mãos sentidas
na pele saboreada
por teu lábios poema
doce provado no corpo
sussurrado em partilha
amor amado
amantes vencidos
destino implacável
nele rendidos, mergulhados
em nós não cala
amor em vida. 

(Kátia de Souza)

Oferta de Amor


18 março 2012

‎"Cúmplices no crime de Amar"

Busco a leitura perfeita
do sorriso que se perdeu no tempo
das alegorias lançadas em emoção
todo é o meu sentimento
por ti lancei meu coração
velejando no mar desta vida
escrita por letras e poesia
respondidas por tuas linhas
na realidade por nós escondidas
verdadeiras por alguns instantes
intensos momentos em partilha
amor vivo emanado, gritado e sussurrado
velado e apenas lido
nas entrelinhas da vida
soprado por nossos gestos
fortes em alma
únicos capazes da leitura plena
do amor que vibra sempre 
em semente gérmen do passado
sentido que permanece presente
amados e amantes somos
sabes que agora e eternamente!

(Kátia de Souza)

"Brincadeira de Criança"

Cansei de jogar,
brincar de amarelinha e virar estrelinha
ficar de cabeça pra baixo
como manda os amigos
cansei de pular corda, andar saltitante
alegre e feliz em lindo instante
sou essa menina da gargalhada farta,
bobona e peralta, autêntica, sincera
espontânea nos gestos e igual na fala

sou assim e nessa turma
ninguém me tolera
to caindo fora, indo embora
pra longe e distante
do mundo da farsa, mentira polida
em gestos que nada põe-se a dizer
que dirá essas falas que nada condiz
to vagando pra fora
eu quero e vou ser, muito feliz

assim desse jeito meio sem jeito
a tonta confia e também desafia
a amar sem limites, superar obstáculos,
pular pra dentro dos barcos
navegar na verdade e em lealdade

quanto aos defeitos, são eles malfeitos
e nessa brincadeira, sou muito faceira
não deixo por nada, quem a mim também queira
sinto por todos que um dia eu quis
mas nada farei se as costas viraram-me
direi até logo pois ali logo em frente
a brincar de outras danças, há outra gente

brincando de roda e de pic,
na lousa com giz, de patins e de pega,
de esconde e de anel e sem regra
sei da verdade e desfeita a maldade
todos que amo pra mim voltarão
estarei esperando mas é certo ... feliz
aberto também o meu coração
mas jamais deixarei de ser quem eu Sou
de face porcelana, jamais serei miss
onde a mentira se aninha e em rama
alastra-se sem o menor pudor
todos admiram, mas de fato
e na verdade, ninguém ... a ama
Desconhecem a essência do Amor!

(Kátia de Souza)

Parte de Mim


17 março 2012

‎"Jardim Secreto"

No jardim dançando ...
lindo baile já vivido
visto e revolvido em tua terra
grama que viçosa esverdeada
contempla o bailar de flores belas
linda a poesia encantada
cores e aromas espalhados ao vento
vejo-me neste instante
sinto-te num rompante
és você meu eterno momento
amo-te sem que saibas
do meu maior contentamento
ver-te bailando ao vento
sentindo-te verdejante
bailando neste jardim
sorrindo no mundo, confins
num sonho sem final
que seja eterno e dure
meu amor por ti revelado
confessado neste bailado
do meu secreto jardim
dedico a Você ... Meu amado!

(Kátia de Souza)

16 março 2012

"Pétalas"

"Pétala XXIII"

Ouço o chamado
no lago curso de rio
mar de emoções 
trilhar sem pressa de chegar ...
água, suave passar
revira as pedras
reflexo da vida
brilha em mim teu olhar ...
perfume de terra
verdes campos em árido solo ...
você ... sopra o vento
a mim ... Confiar
não permitir, jamais esquecer
à você ... sempre ... Amar!

(Kátia de Souza) 





"Pétala XXII"

Só você ...
calada sinto
não falo
calo, guardo
não espero
só amo
penso, sonho
chegou, vejo
viestes
aceito aqui
para sempre
em mim

(Kátia de Souza)

‎"O que restou"

Oco, eco paralelo
escuro manto singelo
brisa doce umedece
vazio abandono
choque de contrários
sentimentos soltos
vagando sem rumo
buscando o que não há
perdida vida sem sentido
sorrindo, disfarçar
lágrimas caídas
voando no abismo
resto do ser buscado
não encontrado
sozinho, parado
movimento, sombrio
fim indesejado
amargo vinho
deglutido, forçado
sufocando, grito
soluços do choro contido
falta, buraco, oco
eco falado, não ouvido
silenciado no ser
cortado ao meio
no peito a sangrar
ferida aberta
neste sempre ...
... o resto que há!

(Kátia de Souza)

14 março 2012

‎"Vida escondida"

Imagem retirada do Google
Desconheço o autor
"Homem de Pedra"
Pedra fria
rígida, rústica
fincada ao chão
sem voz, muda
estática, estátua
sem vida, erosão
consumida
vista à distância
sem qualquer
emoção
segredada
na aparência
nula, não sente
vida em ti
não é vista
deixada no tempo
é pó em Si
espalhada pelo chão
triste fim
soprada no vento
apenas pedra
vida escondida
esvaindo-se
pó na erosão!

(Kátia de Souza)

13 março 2012

‎"Luz de Amar"

Em cada olhar
cada gesto
cada passo
cada novo rosto
novas escolhas
ruas, praças
lagos, flores
pássaros
folhas, árvores
nuvens, chuva
sol, estrelas
lua, noite, dia
sorriso, lágrimas
detalhes, emoções ...
... a ti dedico
luz do que sinto
sem limites
te envolvo 
te permito
voar sem destino
ausente, presente
sem ver, ter, saber
e jamais te esquecer
presente estará
dentro sempre ...
... em Mim, Você!

(Kátia de Souza)

11 março 2012

‎"Morte prevista"

Asas cortadas
pouso forçado
grunhido da ave ferida
retirada do ninho
jogada no abismo
caída entre as pedras
cobertas por terra rasa
amortecida queda
imprevista ferida
por tuas mãos ... aberta!
gemido em solidão
mórbido silêncio
entre as rochas
por entre os vãos
aproxima a morte
tortura na lentidão
do antes e do agora
conhecido gesto
cega, distorcida emoção
amor puro ...
elevada emoção
atirada e ferida
ao chão!

(Kátia de Souza)

10 março 2012

‎"Asas cortadas"

Sinto tua alma...
vejo o teu sentir
teus desejos, teu querer
teu pensar, teus olhos 
sobre mim ...
silenciar, distanciar
calar, emudecer
não permitir
asas cortadas
boca calada
emoção tolhida
na tua emoção
distorcida ...
adeus sem partida
Eu? Apenas te amar
como tal ...
te respeitar
sempre comigo
estará ... dentro
um dia verás
eu e você ... juntos
entenderá 
o que é Amar!

(Kátia de Souza)

"O que fazer?"

O que faço eu ...
imagens se formam
contornos se definem
lugares, instantes e gestos
olhos, corpo, sorriso
doce aroma de flores
ar que preenche-se de ti
teu olhar em mim
você ali, nós a sorrir
passar das horas
atividades, tarefas a cumprir
passa-se o tempo
a vida ali 
exposta em meu sentir
no bailar das folhas 
no pólen da flor 
nos pássaros a cantar
borboletas a voar
o sol a raiar
lua na noite a me esperar
prata e ouro da vida
a contemplar
neste simples sentir
muda, calada, silencio
nas imagens a surgir
na lágrima a correr
teu rosto, teu cheiro
você, sempre ...
sempre ali
não há esforço
natureza, simples assim
você perto, inteiro
parceiro a mim
já tentei fugir 
do destino aqui, ali
ontem, agora e depois
negar o que dentro há
eu e você neste verbo
nascidos para amar
Unidos num imenso, 
indefinível sentir
perdoa-me por te amar
não posso evitar
o Amor ... está aqui!
busco calar e não consigo
meu peito põe-se a gritar
nas lágrimas escorridas
do rosto a cair.

(Kátia de Souza)

09 março 2012

"Laços do Amor"

Mesmo que não saiba
não acredite, não perceba
apenas veja
que em mim só há
esta minha louca
mania de te amar
te digo: um dia saberá
De mãos dadas estaremos
sorriremos e assim
concluiremos o que hoje
inicia em um único
gesto incompreendido
mas assumido e
permitido em duplo laço
Meu e Seu ... porque o Amor
é por nós e não se pinta
em única nuance
onde vislumbra-se apenas
em romance ...
o Amor, se expande em vários tons
que hoje sei não vês
e na tela vislumbra
o que teus olhos podem alcançar
mas verás que eu e você
no fim será ... Nós a Amar
Eu? ... Amo Você ...
Sempre foi assim!

(Kátia de Souza)

"Despertar

Acordei ...
olhei a frente
um espelho
vi, enxerguei
não era igual, semelhante
onde a diferença
que me define
única, diferente
percebi, vi ... sinto a vida
Sou ... Viva em Si
Vejo, vivo ... 
simplicidade 
o pouco, micro 
no inteiro, todo em nós ...
olhei ao lado
Você ...
trajeto, trilha
caminho apontado
mostrado, despertado
onde Sou ...
inquieta, viva
bela por Ser este Ser
que sente a Vida
olhos em mim
seus, meus ... iguais
por Si, n'alma
livres, soltos
perdidos no tempo
previsto encontro
no vento ... nós
achando-se agora
amando, tocando
inconfesso
desejo de amar
sem fim
eternidade
neste laço 
refeito num olhar
re-conhecido
há muito já era
assim!

(Kátia de Souza)

08 março 2012

‎"Além do tempo"

Suave dor
esconde-se
dentro
disfarça-se
entre os vãos
do silêncio
em mim
calado sorriso
ainda tímido
nesse pouso
indefinido
de ver-te
intenso
dentro
neste só
momento
imenso amor
em mim
sabe-se
eternamente
em olhos lúcidos
que faz ver
além do tempo
padrão aceito
de lhe ter
para sempre
em mim
surge então
suave emoção
soprada dentro
que faz doer

(Kátia de Souza)

06 março 2012

‎"Viver em amor é Ser"

Quem dera pudesse o homem
sua própria natureza saber
seu instinto conter, transformar
viver o ser que é, pleno ... ser
ritmo incessante do vento
nas folhas das árvores
bailando e seguir seus passos
voando sem cessar esse encanto
natureza nem sempre vivida
possível de ser sentida
disposta ao redor e dentro
nos vícios contida e impedida
triste vida, distorcida
senti-la, única saída ... Viver
detalhes, simplicidade, assim é ...
... Amor por viver ... Ser!

(Kátia de Souza)

05 março 2012

"Ser rarefeito"

Esvai-se ...
esvanece ao vento
sopradas em suaves versos
palavras ...

imagens ...
cenas a chegar doce agrado
afago em alma
reconhecimento ...

sou do mundo
neste voo a pertencer
respiro, vida, afeto
mar em mim ...
fluido, rarefeito ...
ser ...

marcas a se desfazer
olhos a contemplar
um novo e sereno ...
... amanhecer.

(Kátia de Souza)

02 março 2012

‎"Vento sempre Sopra"

Estacas firmes em seus lugares
raízes moldadas por nossas mãos
árvores?! Não! ... vida não há
estacas apenas a sonhar
folhas inexistentes
vento a soprar passa inclemente
desliza pelos vãos
busca retirar, estacas ... no chão
sopra o vento, uiva seu lamento
sussurra no tempo antes, agora, depois
olho que tudo vê, aponta, fala e conta
sacode em ventania e passa
não vêem, sentem, escutam, entendem
vai, parte, caminha em tuas rajadas
mas ar, vento sempre sopra
volta depois de ir, retorna
nunca abandona, desafios ...
... apenas contorna!

(Kátia de Souza)

01 março 2012

Pétalas

"Pétala XXI"

Sentada na calçada
você ao lado
suor na fronte
escorre entre os olhos
a mão recolhe
úmidos dedos
olhar distante 
lembranças no tempo
lágrima escorrida
ao suor se mistura
eu, apenas a olhar
as minhas caem 
ao chão ... 
lágrimas nesse olhar
invisível emoção
sem ver ou tocar
só ... ao teu lado
... a te amar!

(Kátia de Souza)

"A luz de um beijo"

Tela de Vladimir Kush
"Beijo de despedida"


Diante do por do sol
noite que chega
lhe protejo ...

Diante das ondas do mar
maré avança
lhe asseguro ...

Diante do barco a espera
rouba-me o beijo
a mim assumo ...

Diante da despedida
amo-te mais ...
e em luz, te deixo

(Kátia de Souza)
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...