Páginas

29 fevereiro 2012

Pétalas

"Pétala XIX"

Vento a movimentar
tudo que há
intenso, brando girar
uiva, sussurra ou grita
aos ouvidos fez chegar
teus gemidos ..
desfolhadas pétalas
apelo, recusa ...
morta a flor
pede num clamor
paz, luz, verdade, lealdade
sabe do amor
vai me arrasta o sorriso
chuva apaga a chama
deixa em mim
um grito intenso
... de imensa dor!

(Kátia de Souza)

Pétalas

"Pétala XXI"

Sopra o vento neste tempo
desejado onde se quer interligado
desfia-se então num giro
as folhas, na ventania que soprou
resta pequena chama
só, estremece em seu lamento
em folha que não se apaga
contendo os sentimentos
desejo de estar solta
livre ... no vento!

(Kátia de Souza)

Imagem de Vladimir Kush
Tela: Vita Memoriae
***** ***** *****


"Pétala XX"

Tenho medo dessa dor
dessa sina em solidão
já confessada, revelada
caminho, trilha, passos
tantas vezes trilhados
mas dói, ainda dói
tenho medo do desprezo
desespero do abandono
dos olhos cegos
do meu silêncio
dessa voz que cala
desejo de ir, partir
não mais chegar
não ficar ...
tenho medo dessa dor
de não mais ouvir
... dentro meu amor!

(Kátia de Souza)

"Ao meu Amigo e Irmão"

‎"Sempre Em Resposta:
 Grata em meu Íntimo Ouço"

Ouço tua voz
sinto-lhe a presença
na luz que te acompanha
princípio do Nós e em ti ...
... excelência

Amor puro e dedicado
carinho e olhar raro
consciência em si ...
... és amparo

Sempre ao meu lado
Voz doce e suave
firme sopro de brisa
é mérito e privilégio ...
... a mim sem medida 

Palavras nada dizem
sentir em gratidão
concedo minha alma
ouvidos em emoção
morada do amor
... inteiro em doação

Luz não esmoreça
sabes dos desatinos
passos tortos, aprendizado
em teu colo me aninho
refaz-me do cansaço ...
... parceiro do caminho

Amo-te sem medida
dedico-lhe minha essência
sempre aqui estás comigo
meu anjo em presença
eterno e fiel ...
... irmão e meu Amigo!

(Kátia de Souza)

28 fevereiro 2012

Poetrix

"A luz na Sombra"

O pior dos vícios: egoísmo 
a nos levar ao julgamento 
Sombra a distorcer a luz 

(Kátia de Souza)

Senryu

Busca-se silêncio
Aprendizado constante
Íntimo a gritar

(Kátia de Souza)
..... ..... .....
Cadeira vazia
é solidão retratada -
No ar o silêncio

(Kátia de Souza)


Senryu


Cabelos ao vento -
A verdade revelada
livre agradeço

(Kátia de Souza)
..... ..... .....

Cabelos ao vento -
Soprou então a verdade
Mentira desfeita

(Kátia de Souza)

Senryu

A chuva de verão
faz moça correr depressa -
A roupa no varal 

(Kátia de Souza) 
..... ..... .....

Senryu

Musa do artista
Em grafite teus contornos -
Muro mais bonito

(Kátia de Souza)
..... ..... .....
Silêncio da noite -
Olho você a distância
a velar teu sono

(Kátia de Souza) 
..... ..... .....

Em cor violeta
energias se transformam -
Vida renovada

(Kátia de Souza) 
..... ..... .....









27 fevereiro 2012

"Em Íntimo diálogo"

Inspirado no poema de Lenir Castro - EM CONSTRUÇÃO

"Em íntimo diálogo"

Onde será que está,
cadê, por onde andará,
este tempo que nada vê
e sente, sendo
este que somos,
nosso e só nosso...
... ser!

(Kátia de Souza)

"Meu amor por Você"

Nada cala o que sinto por ti.
Nada impede o meu sentir e assim eu sinto e confesso.
Sem medo ou culpa ... Eu Te Amo!
Quando teus olhos já não quiserem ver, teus braços já não quiser abraçar, as pernas cansadas e o pés esfolados do caminho árduo já tiver feito você calar nas lágrimas da tua dor ... Eu estarei lá a te esperar e em meus braços te erguerei e te farei ver pelos meus olhos a Força que tu és, porque estou de pé hoje, apenas porque teu sorriso um dia eu sei que esteve a brilhar ... Das tuas feridas eu cuidarei e todas as tuas lágrimas eu permitirei que corram para que colhendo-as em meu regaço você possa perceber que estou contigo não porque de ti espero o melhor, mas apenas espero que permitas que Eu te Ame neste que é Único em Si ... Eu Amo Você ... Confie!

(Kátia de Souza)

"Missão Cumprida"

Hoje então se confirma o que fora revelado, dito e proclamado neste que é meu Senhor ... Toda a Verdade se faz clara e límpida diante dos meus olhos ... Quem dera eu pudesse ter ouvido a ti para não me debater diante da ventania ... E sairia hoje sem tantas marcas ... Intensa loucura em mim em não me conter diante da mentira e calúnia onde a injustiça se faz por mãos desses que teimam em seu egoísmo apenas se ver ... Espera o contentamento egocêntrico e primitivo de um Ser que ainda chora e se debate diante dos olhos fechados a arrogância e a vaidade ... Palavras que carregam em si a convicção dessa verdade sempre vista e sentida, dita e alertada, mas não ouvida ... Agora, cabe a mim deixar o trilho desse passado e entregar as armas que sabia usar ... Delas apenas guardo a ferrugem, pois, a missão está cumprida e todas as ferramentas e armas foram entregues e cada qual fez com eles o que lhe fora conveniente ... Hoje em olhos abertos, apenas lamento pelos cegos ainda em sua loucura na mentira e nas brumas da escuridão, ciente de que todos um dia serão ... Luz ... Mas de mim apenas terão os rastros e sei que todos deles se servem ... Hoje entrego a espada ... Mas a quem eu sirvo este cerca-me, protege-me e em confiança me permite Ser o que Sou e da Verdade vivo e sopro dela por onde for por mais que teus olhos não consigam ver ...

(Kátia de Souza)

Pétalas

"Pétala XVI"

Saia de ti ...
venha a mim
toque-me, sinta-me
não precisa ouvir
veja, busque, invista 
o coração te guia
a intuição fala, dita
confio em ti ...
nua, olhos fechados
caminho a teu lado
nada a temer, só ver
sentir e viver ...
assim, te amando
como Você permitir
permita-se me amar
Assim ... Venha ...
Eu sempre te amei ...
... verás, no fim!

(Kátia de Souza) 

"Pétala XV"

Suporte
o insuportável
por não suportar
ser insuportável
és suporte do teu ser
insuportável que és
seja em si, você
o seu suporte
Só...

(Kátia de Souza)

"Em realidade, tu não sabes"

Um dia, quem sabe um dia
saberei dizer de mim 
falar claramente o que não sei dizer
acabar com a visão distorcida
dessa cópia vista manchada
no preconceito profanada
louca desvairada ...
Um dia, quem sabe um dia
verei minha face nos teus olhos
límpidas em essência como sou
sem a má interpretação
sem a emoção das palavras
contaminadas por tua 
e só tua emoção ...
Quem sabe um dia poderei ser "eu"
diante de ti sem este nanquim
enegrecido, nódoa da calúnia
onde o que sinto virou prejuízo
e a pureza de minhas emoções
possa mostrar-se de fato
a que veio ...
Enlaçar em profundo e honesto
sentimento, amor em mim
essência desta que Sou
apenas a dizer e pedir
Veja-me, não me interprete
sinta a Verdade ... no fim ...
um dia, quem sabe um dia
Você verá no fim que sou
única e tão somente uma pessoa
que acerta e erra como você, enfim
Veja-me no erro e me auxilie
mas perceba-me no acerto
eu, também sou ... assim
Um dia, quem sabe um dia...
... Verás a Mim!

(Kátia de Souza)

‎"Velha conhecida"

Imagem retirada do Google tela de :
Hippolyte Flandrin (1836) - Jeune homme au bord de la mer 
Seria mai fácil
o cômodo espaço
dessa conhecida dor
se não fosse ela, 
mas dói a facilidade
dessa viver em mim
o que em si conheço
Seria mais fácil o diferente
momento em mudar
num outro espaço
um novo amor,
mas prefiro o conhecido
momento que arde
espera em ilusão
do que o caminho dito
desse novo, desconhecido
Por isso e nada mais
escolho o fácil estado
de viver estático 
neste velho espaço
e em minha conhecida ...
... dor!

(Kátia de Souza)

26 fevereiro 2012

25 fevereiro 2012

"Sendo algo"

Sou apenas isso ... Nada
que seja enfim, algo
mesmo que vazio sem ser
sendo o que jamais pensava
contudo, é o que talvez seja
sendo, um dia verão quem é
e eu, quem sou
afinal não sei nada
nem sou ... ou serei algo?
sendo saberia, como não sei
não sou , ou melhor ... Sou
esta que nada hoje pensa
ser o que é, mas não é
porque todos dizem
ser o que não sente ser
então nada sei ou sou
nada eu sou algo
que não sei para ser
sou este nada em mim
sendo o que quer você
mas sou, um dia verás
em mim o que sou
e eu a mim ...
ou não verás nada
hoje o que sou ....
apenas dor
por não me ver ...
... assim!

(Kátia de Souza)

"Pétalas ao Chão"

Quem sabe um dia
correr entre flores
sem pudor de olhar aos lados
saber do branco vestido rodado
sem medo ou culpa dos amores
jamais segredar emoção
vislumbrar o que todos verão
não será apenas a mim esta visão
louca, distorcida mas falada
sem ser ouvida, sentindo a margem
sem valor, nada presta
sempre ... sou nada
hoje caminho por este campo
contemplando estas letras
sentindo-me estranha, errada
culpada por ver, falar e saber
(mal)ditas palavras, sem justificativa
triste esta limitação
mas faladas, gritadas, sussurradas
jamais emudecidas e certamente
esquecidas, perdidas no vento
só minha, visão em emoção
triste, muito triste meu peito
dentro um eco sem fim
um lamento, um grito pra mim
fora ... nada, silêncio, invisível
e estas são, minhas pétalas ...
... caídas ao chão!

(Kátia de Souza)

24 fevereiro 2012

"Essência de Uma Mulher"

Imagem retirada do Google
Desconhece-se o autor
Evento: Mulher, Primavera em Flor.
Grupo: Solar do Poetas
..... ..... ..... ..... ..... .....
Sou passo inconstante
no vago vão da vaga
em maré bravia
compreender
saber e conhecer
mistérios da mulher
única em essência
é pisar chão inconstante
firmes e enrijecidos
porém descalços
vibrando o desconhecido
força feminina expressa
em linhas tortas
é desejo de segurança 
armadura, defesa 
espada que corta
fio cego desventura
mulher bicho esquisito
que fala sem dizer
cala gritando emoção
semelhantes 
homem e mulher
veja, o próprio coração
iguais, não se enganem ...
... isso nunca, jamais.
Único que somos ... Sou 
... essência em luz.
Desvenda-me no Amor ...
que a mim e a todos ...
... Conduz!

(Kátia de Souza)

"Pétala XIV"


"Pétalas"

"Pétala XIII"

Não tenho raízes
estou solta
fujo, corro, danço
ao vento
ouço vozes, gritos
lamentos
seriam eles
apenas momentos
seriam eles
eternos em mim
que importa
só sei que vivo
sem raízes
volteando na ponta
nesta dança
louca intensa ...
... em Mim!

(Kátia de Souza)

"Pétala XII"

Estrada imperfeita
curva no asfalto
no túnel em dor
olhos atentos
energias em flor
transpõe obstáculos
transmuta emoção
luz em essência
em túnel do Amor!

(Kátia de Souza)

23 fevereiro 2012

Senryu


Poetrix


Poetrix

Ao sabor do vento

Olhando o futuro
Te encontro ao sabor do vento
beijo-lhe os lábios, cessam os lamentos

(Kátia de Souza)
..... ..... .....

"Emoção calada"

Vozes amigas despertam 
tristeza da distância e desejos impedidos 
A lágrima escorrida confessa 

(Kátia de Souza)
..... ..... .....

"Caminhos em flor"

Voz a calar
ações a falar
silenciar a dor
viver somente
arte, amor
esperas mudas
decepções
surdas, fingidas
risos fartos
falsos? 
não! cuidados
afeto distorcido
visão turva
verdade curva
omissão
ferida aberta
engana(dor)
foge dela
fere sem ver
novo passo
renova-se
a flor!

(Kátia de Souza)

‎"Voz do silêncio"

Silencia grito
fecham lábios
emudece 
acolhe só
tua dor
ouça-te
alma que és
clara 
sabedoria
em ti
luz 
sempre brilhou
não tema
o vazio
hálito 
malfazejo
enganador
espalha
tua arte
teu, só teu ...
... pleno amor!

(Kátia de Souza)

"Clamor"

Cansaço...
visão turva 
marejados
lagos em meu leito
sopro sussurrado 
mentiras descabidas
verdades omitidas sem pudor
corte em fio afiado
vivência incompreendida ...
... dor
queria ser sombra
turva em bruma
omissão ...
fizeste-me transparente
clara, límpida em verdade
exposta a maldade
fiel a lealdade
sem saber dizer
falar, explicar
sentir apenas
calar...
só ... 
em meu silêncio ...
... chorar
calúnia, mentira
decepção
imploro para
não mais
esperar
apenas
amar!

(Kátia de Souza)

"Oração da Serenidade"

Jesus para mim foi uma das maiores
expressões de Amor (Ele) da história.
Há muitos a se destacar, mas Ele, 
para mim é Mestre. Que eu tenha ou-
vidos de ouvir.
"Oração da Serenidade"

“Concedei-me Senhor, a serenidade
necessária para aceitar como são
as coisas que não posso modificar,
coragem para modificar aquelas que
posso e Sabedoria para distinguir
umas das outras. Vivendo um dia de
cada vez, desfrutando um momento 
de cada vez, aceitando que as 
dificuldades constituem o caminho 
para paz; aceitando como Ele aceitou,
este mundo tal como é, e não como 
Ele queria que fosse; Confiando que
Ele acertará tudo contanto, que eu 
me entregue à Sua vontade; 
Para que eu seja razoavelmente feliz
nesta vida e supremamente com Ele
e eternamente feliz na próxima.”

Assim é sempre Será!

(Reinhold Niebuhr)


22 fevereiro 2012

"Pétalas"

‎"Pétala (VIII)"

Minutos, horas
dias, vazios ...
um ponto no infinito
mudo, calado, silenciado
distante, parado
busca inócua, dissolvida
desejos, vontades
sonhos ... distante olhar
único sopro de vida
tristeza dentro a chorar
no vazio, nada ...
... um ponto no ar.

(Kátia de Souza) 



"Pétala ‎(IX)"

Saudade ... 
arde sentimento
tua face
sob meu olhar
desenhando
meu desejo
satisfaço-me
num beijo
sonho ...
por te amar!

(Kátia de Souza) 
"Pétala (X)"

Distante ...
teus olhos
dos meus
choram
os meus
pelos teus
a buscar
outra direção
onde os meus
não estão
ficam a sonhar
pelos teus
olhos ...
nos meus!

(Kátia de Souza)
"Pétala (XI)"

Segredo...
inconfesso
calado
não falado
palavras sem nexo
amor latente
grita por afagos
finge não ouvir
acolhe em dedos
carícia num olhar
letras a proferir
desejo a saciar
permissão
para amar
Venha
te quero
Aqui!

(Kátia de Souza)

‎"Calo-me diante do Meu Amor"

Amar-te já não cabe em meus versos
apenas vivo a sentir-lhe 
em cada milímetro do meu corpo
em cada espaço do meu íntimo
em cada momento da minha existência
e mesmo assim ainda é pouco
dizer que te amo já não é 
tudo o que quero dizer ... portanto,
calo-me diante de ti dizendo-te
com meu silêncio o que os meus versos
não podem falar, conter neste ... 
... Eu Amo Você!
feliz por apenas poder sentir
amar sem esperar e para mim ... 
... jamais mentir.

(Kátia de Souza)

‎"Rendo-me a Ti"

Sou vaga nas asas do vento
ventanias são esperadas
assim como as brisas
viajei por muitos terrenos 
em pés descalços deixei rastros 
em rajadas e sopros 
abracei montes e vulcões
revirei mares e emoções
sou liberdade sem limites
atravesso o tempo, frestas
atendo a convites
erguendo e lançando ao chão
seguindo apenas quem Sou
quem me gerou assim me criou
sou o Vento e Voz deste
que sopra por onde Vou
Rendida a ti sempre ... Amor!

(Kátia de Souza)

"O Valor de ser Único"


"Perfeição"


"Luz que és"


20 fevereiro 2012

‎"A vida se calou"

Me permita esquecer ou não mais rever
deixar lá guardado, escondido, adormecido
desses olhos sempre abertos em atenção
sei que estará lá e que em muitos momentos
meus olhos se perderão no infinito
os desejos ... esses despertarão ...
mas serão apenas meus momentos
calados, silenciosos segredos gritados
apenas em mim, para mim e por mim
deixe que minhas lágrimas jamais confessadas
caiam quando desejarem
no momento que secarem permita-lhe
ser assim, mudas, segredadas em meu sorriso
esta centelha que vi brilhar em meus olhos
sempre viverá, estará lá guardada
repousando em meu leito de dor
se um dia puder brilhar ...
saberei porque estarei diante da tua chegada
por enquanto apenas permita, eu ...
não ser mais tocada por este Amor ...
permita que eu me cale em minha dor
estou cansada, sem forças pra lutar e aceitar
a ilusão de uma esperança que não espero
em outra face e em outros olhos 
onde meu olhar jamais cruzou 
permita meu amar silenciar, hibernar
pois, a vida para mim se calou!

(Kátia de Souza)

"Uma Voz que Cuida"


"(Dis)torcido Amor"

(Para ler e visualizar melhor, clique na imagem)

"Não me peça para ser diferente"


Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...